sexta-feira, 16 de março de 2007

Trilhos...



pessoal & intransmissível
lampejo


As cores do dia,
ferem a minha ferida aberta.
Cai a noite,
no seu manto deixo-me embalar,
esqueço a amargura.
Trilho infinitos caminhos mentais,
que não me levam a parte nenhuma.
Incerto, o presente mais que futuro,
encaminham-me a parte incerta.
Sabendo o que sei hoje,
talvez, fosse uma pessoa diferente,
mesmo amargurado...

5 comentários:

pinguim disse...

Deixas num texto muito belo, algumas pistas para o teu desconforto actual; mas não vejo que feches totalmente as portas, o que já é bom.
Abraço e bom fim de semana.

MrTBear disse...

Gostei muito, mas....
Se soubesse o que sei hoje, gostava de ser exactamente o que sou.
Bom fim de semana

Arion disse...

Da amargura também se cresce. Abraço grande!

Tongzhi disse...

Muito bonito.
Um dia vais dar um pontapé na amargura!

Catatau disse...

Está um escrito muito ao gosto de época romântica, sim senhor! Estás a navegar por ambientes muito oitocentistas.
Mas olha, pinta a vida com um pouco mais de luz - à luz, provavelmente, mudavas um pouco a amargura...

Boa semana. :)