quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Carlos Pena Filho

Gostei tanto do poema (soneto) do poeta Carlos Pena Filho publicado pela minha amiga Little Girl Blue que decidi publica-lo no meu blog.

A solidão e sua porta

Quando mais nada resistir que valha
a pena de viver e a dor de amar
e quando nada mais interessar,
(nem o torpor do sono que se espalha).

Quando pelo desuso da navalha
a barba livremente caminhar
e até Deus em silêncio se afastar
deixando-te sozinho na batalha

a arquitetar na sombra a despedida
do mundo que te foi contraditório,
lembra-te que afinal te resta a vida

com tudo que é insolvente e provisório
e de que ainda tens uma saída:
entrar no acaso e amar o transitório.

Carlos Pena Filho

15 comentários:

Little Girl Blue disse...

=))

RIC disse...

Poesia de aconselhamento! Maravilha! Gostei bastante!
Ainda bem, meu caro Lampejo, que andas em busca de «coisas» mais animadoras! É muito bom sinal!
As maiores felicidades!
:-)

Catatau disse...

Hum... este bonito soneto é capaz de te ter caído como uma luva... ;)

pinguim disse...

Acho que fizeste tu muito bem.
Abraço.

Natacha disse...

Parece que caminhamos lado a lado num paralelo de sentires e emoções.

Muito bonito este soneto!

Beijo grande

Shadow disse...

Obrigada por partilhares este soneto! Gostei muito!

Tudo de bom para ti!
Beijinho :-)

Tongzhi disse...

Eu acho que está tudo dito. Algumas coisas, nas linhas e outras nas entrelinhas!!!

jnavarro disse...

Bonito poema... concordo!

Aproveito para te dizer que é com satisfação que te visito e deparo-me como novo post...

Um grande abraço

MrTBear disse...

Estou como o TZ.

É de se ler nas linhas e nas entrelinhas.....

Melancólico, mas bonito

lampejo disse...

Little, não tens de que..

Caro Ric, vou tentando...
Abraço!

Nem mais amigo Catatau, nem imaginas como.
Abraço!

Também acho amigo Pinguim.
Abraço!


Acho que é isso mesmo, Natacha.
Beijinhos!

Shadow, ainda bem que gostaste.
Beijinhos!

É isso tudo TZ... :)
Abraço!

jnavarro, volta sempre que quiseres, é um prazer ter-te por cá.
Um grande abraço!

MrTBear, a melancolia também pode ser bonita.
Abraço!

Egrégora disse...

porque será que senti reconhecimento de espirito ao ler o poema?
como aliás, sempre que aqui venho.
bem hajas**

jnavarro disse...

Cá voltei, amigo!
Um abraço

Kokas disse...

Amar o transitório é sempre muito penoso, sobretudo quando já não queremos que o transitório seja só isso!

Não vás por aí...

Mas adorei!

Snowman disse...

OLá Lampejo. Daqui Snowman. deves saber quem sou, senão, acabarás por descobrir, tem o seu interesse...

Fizeste-me sorrir com o teu blog, uma agradável surpresa. Gostei do que li, do que senti. Fez-me bem. Se não te importares voltarei mais tarde. Até lá. Abraço!

lampejo disse...

Olá Kokas! Vou por aonde o caminho me levar... ;)


Olá snowman, volta sempre que quiseres...
Por acaso não estou a ver quem sejas, mas um dilema tem sempre o seu encanto... :)
Abraço!