domingo, 27 de julho de 2008

Nada é eterno?!

Há quem diga que nada é eterno, que tudo é efémero.
Por vezes questiono-me para que viver se tudo se resume a uma efemeridade?
Sim tudo tem um fim, mas se confinarmos a eternidade a nossa simples existência mortal, o momento viverá dentro de nós na nossa própria "eternidade", esfumar-se-á no nosso último suspiro. Quero com isso dizer, que cada momento, cada pessoa viverá dentro de nós na nossa precária "eternidade", e nem tudo é efémero.
O eterno poderá viver dentro de cada um de nós, mesmo que no fim, a nossa existência se resuma a uma efeméride.

7 comentários:

pinguim disse...

Um bocado confuso, mas eu entendo-te perfeitamente.
Podes crer que nada é efémero, se se acredita mesmo na "eternidade" do(s) momento(s) vivido(s).

Acima de tudo um enorme abraço por este teu regresso à blogosfera; fazes cá muita falta, pois os amigos fazem sempre muita falta.

The White Scratcher disse...

Quando gostamos de alguma coisa ou de alguem, o tempo nunca chega. Queremos chamar a isto efemeridade? Podemos dizer assim, porque a vontade e necessidade de nos sentirmos bem nunca é suficiente e queremos cada vez mais. Quanto mais pegados, mais tempo queremos, mais vulneráveis ficamos, mais efémeros nos tornamos.

Bom regresso.

Natacha disse...

Amigo!! Fico contente por te ver aqui!!

Efemeridade...

O que existe de mais bonito numa noite de tempestade? - Os relâmpagos! Efémeros...

A Felicidade pode ser como um relâmpago - efémera - mas se vivida no momento e com intensidade não deixará jamais de ser bela.

"Vive a vida o mais intensamente que puderes.
Escreve essa intensidade o mais calmamente que puderes.
E ela será ainda mais intensa no absoluto do imaginário de quem te lê."

Vergílio Ferreira

Gosto de ti Amigo - FORÇA!

Beijos

Catatau disse...

Nada é eterno, mas há "eternidades" que não valem a ponta de um corno.´Dessas eternidades, está o mundo cheio de gente infeliz e acomodada.

Lindo menino, que postou, sim senhor!... ;)

Tongzhi disse...

Tu já sabes que eu sou muito prático e objectivo...
Assim, o importante é andar para a frente!!!

Paulo disse...

tudo é efémero, de facto, mas também é preciso perceber que há permanência no que somos e em como somos, no que nos acontece há por vezes repetição. lá está o paradoxo: efémero/permanente. as coisas acontecem-nos, temos de estar à altura delas e como disse o Tongzhi, temos de ser práticos e avançar, criar o nosso próprio caminho de eternidade.
abraço e bom regresso!

bueno disse...

o que importa é que voce voltou. meu querido lampejo!!!! Estava mesmo com saudades! Obrigado pelo recado. Um abraco de sonhador para sonhador