segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

"Olhar"...

Inevitavelmente o ser humano jamais se poderá dissociar da sua condição humana, independentemente do prisma/perfil pelo qual abordemos o assunto, que o conduz por vezes a ignorância e ao egoísmo e a pobreza de espírito...
Como indivíduos que somos, não deveríamos ser vistos apenas como a soma de um todo, e como isso por vezes sermos castrados da nossa intima individualidade, que nós torna únicos - singulares - enriquecedores... Devemos por isso respeitar a individualidade de cada um, mesmo que ela não vá de encontro as nossas "crenças", "moralismos", "vivências"...
Só por que não somos "crentes", "praticantes" de uma determinada "ideologia" - no sentido lato - não comungamos de determinados pensamentos ou actos, não faz de nós menos "dignos", "portadores de indiferença social", marginalizáveis, passiveis de exclusão...
Nem só de aparências vive o Homem - nem sempre o lobo veste pele de cordeiro, por vezes o cordeiro veste a pele do lobo (como forma de escudo) - existindo mais "vida" além da por vezes "fina armadura" que nos esconde e protege a intimidade...

6 comentários:

pinguim disse...

Acho que te entendo bem...
Abração.

Tongzhi disse...

Focaste neste teu post aspectos muito importantes da natureza humana.
Abração

Natacha disse...

Gosto que penses assim. Agora só falta adequar a atitude ao pensamento - sei que não é fácil, mas o primeiro passo para sermos aceites em todas as nossas diferenças e naquilo que nos torna seres únicos - é aceitarmo-nos e orgulharmo-nos de quem somos.

Eu gosto de ti, e tenho orgulho em te ter por amigo.

Beijo

Paulo disse...

de facto, muitas vezes, para nos defendermos assumimos o que não somos. uma estratégia de defesa, mas o que importa não é tanto a máscara mas o que ela esconde e é aí que está a essência, não é na pele que se veste!

abraço

The White Scratcher disse...

De só aparência vive o homem. È por isso que as pessoas são cada vez menos interessantes.
Poucos mas bons!

Abraço

bueno disse...

Estás certíssimo!