domingo, 15 de julho de 2007

Além de um simples olhar

"olha" para mim com atenção
nem tudo está ao alcance
de um simples olhar
embrenha-te no meu ser
sente o provir do meu desejo.

apaga as luzes, venda os olhos
sente o perfume do meu ser
escuta a melodia do meu coração,
tranquilamente, espera pelo fruto.

serve-te do verbo amar
em toda a sua plenitude
não esgotes em vão a palavra amar.

não desejo a prosperidade material
aspiro a virtude espiritual,
é isso que tenho para te dar
se me deixares, amar-te-ei
até ao limite do meu ser.

11 comentários:

pinguim disse...

Amigo Lampejo
um poema com muito sumo...
É um poema de dentro para fora, e ao mesmo tempo, porque te sei tímido, surpreendes-me (positivamente)ao ver-te assumir um papel de auto confiança, inclusivé de desafio a "alguém" que queira descobrir o teu verdadeiro eu.
Quem diria? E que bom é isso...
Abraço.

Natacha disse...

Espero que a tua mensagem chegue ao destinatário ...
Felicidades mil ...
Beijinho

Catatau disse...

Visceral! :)

RIC disse...

Agrada-me muito a constatação de que há um «tu» a quem te diriges! Em frente é o caminho! E os desafios sabem sempre muito melhor!
Força!
Um abraço! :-)

MrTBear disse...

Veio do coração, muito mais além do que os olhos podem ver.....

lampejo disse...

Amigo Pinguim, apesar de a mensagem dificilmente chegar ao possível destinatário, o pseudo-poema foi escrito no sentido de dar a conhecer mais um pouco do meu ser...
Abraço!

Natacha, acho que dificilmente a mensagem chegará a bom porto, mas isso são outros ventos...
Fico-me pelo "desvendar" do meu "próprio eu"...
Beijinhos!

Caro Catatau, a ver vamos, basta que alguém queira tanto como eu...
Abraço.

Caro Ric obrigado pela força, mas digamos que se trata mais de um desabafo, em forma de "choro" e suplica interior, no sentido de encontrar a paz interior, e demonstrar de certa forma as meus reais pensamentos (para quem ainda não os saiba).
Um forte abraço! :)

Caro MrTBear, vem sim, do coração e do mais nobre sentimento que a minha "alma" pode ter, e oferecer...
Abraço.

jnavarro disse...

Pseudo-poeta!?
N�o sou nenhum especialista na mat�ria mas gostei do poema e parece-me que de pseudo n
ao tem nada. O que � isso de um pseudo poeta? Ou de um poeta a s�rio?

Ali�s... n�o � a primeira vez que dou aqui com textos que n�s fazem, as n�s visitantes, refletir...

Este texto transpira, mais do que sentimentos, percep�es! Isso � interessante para quem tenta "auscultar" uma mensagem

Ok! Desculpa l� este meu entusiasmo :) Bom trabalho!

lampejo disse...

Amigo jnavarro, não te acanhes, tens todo o direito de expressar a tua opinião.
Quanto a minha escrita, apenas limito-me a escrever o que vai cá dentro.
Obrigado pelo elogio. :)
Abraço!

Arion disse...

Gostei muito deste teu poema, a sério! Abraço!

jnavarro disse...

Viva amigo!
Estou a fazer a passagem pelos blogs amigos só para desejar um bom fim-de-semana.
Obrigado pelas sugestões e comentário.

lampejo disse...

Alegra-me saber que gostaste Arion. :)
Abraço!

Não tens de que amigo jnavarro. :)
Igualmente para ti.
Abraço!