terça-feira, 21 de abril de 2009

"mãe"

do orvalho fiz-me gota
para te dar vida

do teu ventre brotam
mil e uma cores,
suaves aromas
que me deleitam a alma

por detrás do teu manto verde
ecoam melodias de amor

5 comentários:

pinguim disse...

Comovente! Belo! muito bom!
E mais não digo.
Um beijinho.

Natacha disse...

Como te disse ontem, confuso no inicio (começa na primeira pessoa, e vira no segundo parágrafo) mas muito bonito...
Tal como a mãe natureza...

Beijinnho

lampejo disse...

Amigo J. obrigado...
Não é dos melhores, mas vale pelo sentido. ;)

Abreijos


Amiga Natacha, pois foi, nem mais. Estávamos na véspera do dia da terra :)
Beijinhos!

F3lixP disse...

Belo poema! E o dia da mãe está próximo!

lampejo disse...

F3lixP obrigado :)
O poema até podia ser dedicado a mãe, mas neste caso era a mãe natureza.