segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Penso em ti

Na solidão do meu tempo
penso em ti,
não como algo que me pertence
mas algo que me é dado ter.

Neste afecto que me alenta
sei que de ti não me quero perder
pois em ti me reencontrei
e em ti não quero morrer.

3 comentários:

pinguim disse...

tu por aqui?
E com um poema destes?
Hummm, haverá passarinho novo?
Se há e não me contaste, levas nas orelhas!

Vanidade disse...

Gosto, pela simplicidade, pela melodia.

Rabisco disse...

Tens poemas muito bonitos por aqui...
Gostei.

Abraço