domingo, 4 de dezembro de 2005

Falsa Liberdade




A ansiada liberdade que falsamente conquistamos, para os outros, não para nós, escravos de nós próprios, das nossas necessidades.
Subjugados a uma vontade colectiva, que por vezes nos conduz por caminhos não desejados.
Escravos, de um patronato, de um labor, pela necessidade da sobrevivência.
Ò vida maldita, podridão malvada, suja escravidão, falsa liberdade, para que vós quero se afinal não tenho nada.

10 comentários:

Cadelinha Lésse disse...

Vá lá... não acredito que a vida seja assim tão negra!

Xis

Catatau disse...

Estou a ver que ainda não te deu aquele "lampejo" de optimismo...

Quanto à 'vontade colectiva', olha, ó pá, eu também não gosto (chamem-lhe complexo de manada, ou não), mas a "ditadura" da democracia e do PSA (politica e socialmente correcto)é que força frequente e por vezes exasperadamente estas coisas!...

mfc disse...

Só tem liberdade quem não medita e se confronta com a realidade!

Tongzhi disse...

Para mim, a liberdade é uma luz ao fundo de um túnel.
Em valor absoluto, nunca a iremos atingir, caminhamos para ela. Por vezes, parece-nos muito perto, e por outras inacessível. A luz torna-se muito fraca, mesmo a apagar... É nessas alturas que temos de, buscando forças onde muitas vezes pensamos não existir, ?dar uma corrida? e ver a luz mais viva, quase ao nosso alcance.
Eu sei que é um chavão o modo como vou concluir...

É A LEI DA VIDA!!!

Abraço sincero!

Cadelinha Lésse disse...

Não importa que vistas a pele do urso ou do lobo ou de qualquer outro bicharoco! Importa é que não hibernes tu.

bueno disse...

querido, estamos aqui para coletar experiencias. A vida é um Matrix, mas mesmo assim é paradoxalmente maravilhosa! felicidade e liberdade, sao valores temporais. oscilam nesse nosso oceano temperamental! se hoje a maré está baixa, amanha ela vai subir, e e mesmo com tudo sendo ilusório, por um momento, voce estará livre e feliz! Boa Noite, dorme tranquilo!

Lampejo disse...

Talvez a vida não seja negra, talvez a negridão esteja em mim, ou talvez esteja-me a focar demasiadamente no lado negro, não sei, obrigado pela simpatia Lesse.

De certa forma é verdade mfc.

Ainda não Catatau, eu bem queria, mas talvez eu próprio não me esteja a deixar (inconscientemente), ou talvez por outras razões.

TZ, sei e reconheço a sinceridade das tuas palavras e actos, obrigado por tudo.

Claúdio a maré baixa por vezes dura demasiadamente, obrigado pelas palavras.

bueno disse...

lampejo, o senhor está muito desaparecido, deixando saudade na gente. Um abraco e um bom fim de semana.

Cadelinha Lésse disse...

Ora essa, obrigado porquê?
Deixa-te de coisas, que aqui a malta não é de salamaleques!

Bom fds

bueno disse...

lampejo querido, faça logo um novo post, que esse aí está muito triste demais. beijos