segunda-feira, 15 de agosto de 2011

amor ardente

solto um orgasmo
do tamanho do mundo,
bem lá do fundo
do mais puro pasmo.
bebo o néctar da vida
num trago sentido.
liberto a paixão
que trago em mim, por ti.
louco sabor da vida
o amor que me revitaliza,
o desejo ávido, sereno,
que se reflecte em ti.

3 comentários:

pinguim disse...

Ohhh, lá lá...
Que intensidade...

Vanidade disse...

Um poema destes só mesmo oriundo de quem está em brasa. Parabéns ;)

Zoninho disse...

é bom saber-te de volta e ler-te assim! vibrante, cheio de "intensidade" e em "brasa"! :))

abraços