domingo, 1 de abril de 2007

Citação íntima: Margarida Rebelo Pinto*

"Usamo-nos todos uns aos outros e chamamos a isso amor. E quando já não nos podemos usar uns aos outros chamamos a isso ódio.
...
apercebo-me que o amor é uma coisa e a vida é outra, e que ainda preciso de aprender a viver melhor, sem depender tanto dos outros para me sentir, senão feliz, pelo menos, confortável."
__________________
* - in a alma de pássaro

5 comentários:

MrTBear disse...

Desculpa, mas não concordo nada, mesmo nada.
Não acho que o amor seja "usar" o outro.
O amor é dar, é comungar, é partilhar. Digo eu.
Usar os outros, parece-me mais parecedido com o ódio...
Boa semana

Tongzhi disse...

Partilha...
Tem de ser partilha!!!!

Lover disse...

Apesar de não ser fã da Margarida, ela que me perdoe a sinceridade, acredito que a frase tem um grande sentido... Infelizmente, o mundo anda assim... Ou, infelizmente, somos assim... O amor quando verdadeiro é muito mais que simples uso... Vou colocar teu link no meu blog, gostei de te visitar, assim voltarei mais vezes. Abraço...

caminante disse...

Decía Cantinflas en un film "El Padrecito": Dios dijo que nos amásemos no que nos amasemos. No es sólo cuestión de acento.
Mar no es utilizas. Amar es entregar toda la vida por los que amamos, sin espera nada a cambio. Este mundo nuestro muere de individualismo porque utiliza, no ama.
Disiento, perdóname, de lo último que dices: "o amor é uma coisa e a vida é outra".
Amigo mío, el amor y la vida se identifican: quien ama vive, quien no ama muere. Triste cosa es una vida sin amor.
Un fortísimo abrazo.

lampejo disse...

Todos temos o direito de discordar, e tu não és excepção mrtbear. Penso que às vezes até é são...

Tz, tem de ser artilha, entrega...(entre muitas outras coisas mais)

lover, obrigado pela visita.
Apesar de por vezes poder pessoalmente não concordar na totalidade com estas minhas citações intimas, não posso deixar de achar que muitas vezes esta mesma citação acontece de verdade...

caminante, primero deja que le diga que estas no son palabras mías, pero sí de una escritura portuguesa (Margarida Rebelo Pinto). Después el amor no puede ser egoísta, quien da espera algo de vuelta, ni que sea una simple sonrisa. Sí, es pena que este mundo sea egoísta e individualista. Por ello mismo creo que se amemos sólo en función del otro estamos de algún modo a ser egoísta con nos mesmos...
Abrazo.