domingo, 7 de junho de 2009

8 ou 80

Dizem que no meio está a virtude, concilia-se o 8 e o 80.
Pessoalmente não me "choca" o 8 ou o 80, "tocar os extremos", porque por vezes mais vale ter ou não ter. Sabe tão bem ter o que se gosta na sua plenitude (desfrutar o seu sabor), e não ter o que não se gosta. Labutar para "conquistar", viver as coisas na metade!
Também se diz que por vezes os extremos se tocam, talvez porque a "barreira" que os separa ser ínfima.
Sei que vivo nos extremos, ou 8 ou 80, com todos os prós e os contras que daí possam advir...
Quiçá virtude ou defeito?!

8 comentários:

Natacha disse...

Amigo,

O Mundo não exerce o seu movimento de rotação sobre nós. Não sobre nós enquanto elemento único, ser único. Daí que, grosso modo temos de nos adaptar. Não acho mal querermos o que desejamos em pleno, claro que sim. Mas como seres humanos, somos adaptáveis, ou pelo menos, devemos sê-lo - devemos isso a nós próprios.

Compreendo que digas que és assim e pronto, mas a minha pergunta é: és assim e és feliz? Se sim, óptimo, senão, não vejo qualquer problema em tentares ser mais 44 do que 8 ou 80.

Retirar o máximo partido do que nos é oferecido, lutar pelo que desejamos, mas ser essencialmente FELIZES e vivermos em harmonia com quem somos!

Beijos amigos

Ezequiel Coelho disse...

viver nos extremos pode ser uma experiência memorável, apenas se vivida durante curtos períodos. Caso contrário, é esgotante e ineficaz quanto àquilo que supostamente se pode "ganhar" com esse tipo de vivência.
Não é virtude nem defeito, às vezes é uma benção outras, um estigma!
Um abraço!

Bruce disse...

Eu vivo assim... talvez demais até...

Tongzhi disse...

Dá um certo desgaste, na minha perspectiva. Contudo, há fases assim e temos de as encarar de frente.

pinguim disse...

Não sei se concorde contigo nessa questão de tu seres de extremos; acho que não és tanto assim; és demasiado cauteloso para passar do 8 ao 8o; claro que posso estar enganado...
Abração.

F3lixP disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lampejo disse...

Amiga, acho que não sou feliz assim, mas também não o sou de outra forma...
Beijinhos!

Ez, as vezes é um estigma dos grandes.
Um abraço!

Bruce como custa viver assim...

Tz, quase tudo na vida tem o seu preço.
Abraço!

Amigo Pinguim, digamos que não passo de um extremo ao outro, estou é em relação ao certos assuntos num dos extremos. Se bem que quando falo no 80, não é tipo "perder a cabeça"...
Abraço!

F3lixP, feliz acho que não estou...
Abraço!

Nocturna disse...

Caro amigo,
Viver toda a vida entre o 8 e o 80, deve ser uma monotonia.
Ir, por vezes, ao 8 e outras ao 80, faz-nos estar mais vivos e sobretudo, ser mais humanos.
Corremos mais riscos de sermos magoados ? Claro que sim ! Mas mais vale isso do que uma vida sempre a "meio gás". Alguém deseja uma vida assim,morna ? Eu não e tu também não, tenho a certeza.
Um grande abraço