domingo, 31 de maio de 2009

O tempo e a saudade

Dedicado a todas as pessoas que já partiram, mas que eu nunca deixarei de amar...

7 comentários:

André Benjamim disse...

A Cecília Meireles dizia que «O tempo seca a saudade», mas eu começo a desconfiar que é mentira... Abraço

P.S. Aqui deixo o poema da Cecília:

O tempo seca a saudade
Seca as lembranças e as lágrimas
Deixa algum retrato, apenas,
Vagando seco e vazio
Como estas conchas das praias.

lampejo disse...

André, também creio que o tempo não seque a saudade, atenua-a em alguns casos...

Abraço!

Tongzhi disse...

Tens toda a razão. Ameniza a perda, mas não apaga.

Abraço

Natacha disse...

Com bem sabes, ADORO esta música. Acho até que a publiquei em tempos no Pacanina!

Gosto imenso de Rodrigo Leão...

Beijos e, claro que tens razão... a saudade é para sempre

lampejo disse...

TZ, nem mais...
Abraço!


Natacha, eu gosto do Rodrigo Leão...
Há saudades que são eternas...
Beijinho!

Nocturna disse...

Lampejo,
As pessoas que amamos,e partiram, só morrem realmente, quando as esquecemos.
Gosto de pensar que « algo » delas permanece à nossa volta e olha por nós. A saudade é um sentimento muito doloroso, mas, se for verdadeiro é eterno.
Um grande abraço e muita luz para tua vida.
Nocturna

lampejo disse...

Nocturna, viveram em nós enquanto cá andarmos...

Beijinho!