quarta-feira, 17 de agosto de 2005

Mudam-se os tempos mudam-se as vontades

Foi aqui que tudo começou a ganhar vida.
Sim nesta velha lareira, outrora cheia de vida e esplendor.
Apesar dos meus meros 35 anos, sou do tempo da boa e antiga educação à portuguesa, dos bons velhos e saudosos costumes e valores.
Sabem porque?
As crianças eram educadas também pelos avós, que lhes transmitiam esses valores.
Muitas foram os serrões passados junta a essa lareira, palpitante, a sopa a cozinhar, a avó a ensinar o neto a ler e escrever, a ensinar sábios valores morais, a luz do candeeiro a petróleo. Sim, naquela altura ainda não havia luz eléctrica, por isso não tínhamos televisão, mas isso por si só não é motivo para nos privar de uma boa conversação. Sabem porque, mais tarde a luz veio, mas os bons velhos costumes permaneceram.
É tudo uma questão de hábitos, sim hábitos, ou não será afinal o Homem um animal de hábitos.
Ter-se-á tudo isto perdido "na lixeira da nossa civilização"?
O nosso futuro está nas mãos de quem não sabe mais dar o valor a tudo isto. Interessam-se mais pela televisão, jogos, guerras, sangue e violência.

O homem que sou hoje, parte devo-o a minha saudosa avó.

9 comentários:

Swatch disse...

De facto a tradição já não é o que era !!! E em algumas coisas é pena.

Lampejo disse...

A quem o dizes AC!!!

bueno disse...

antigamente, quando se envelhecia, tinha-se uma função (ensinar a família, ajudar na educação das crianças); hoje em dia, os velhos são, na maioria dos casos, ignorados, e a família vai encolhendo mais e mais. É o sinal do nossos tempos! Uma pena.

Lampejo disse...

Nem mais Cláudio.

Tongzhi disse...

Concordo com o PeloUrso no que respeita à experiência vivida por ele, às memórias que guarda da avó. Eu também guardo boas memórias da minha avó Elvira (porque da outra nem é bom lembrar!).
Mas há uma coisa que temos de encarar, é inevitável ? o progresso ? com tudo de bom e mau que ele possa trazer. Já imaginaram do que seria pegar numa criança que nunca viu televisão e ?integrá-la? nas crianças de hoje? Ela não saberia sequer do que falar.
Os valores mudaram, fruto de uma modernidade que não podemos controlar. Como pai, e tendo recebido uma educação ?à antiga?, tive de me adaptar e escolher o que seria para mim mais importante transmitir. A solidariedade e a tolerância, foram os aspectos com que me preocupei. Não penso ter escolhido mal.... Ele, o meu filho, está aí com qualidades e defeitos mas solidário e tolerante!

Tongzhi disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Lampejo disse...

Sem duvida TZ.
Apenas gostaria de ver mais actos de solidariedade e tolerância, entre outras coisas mais.

Catatau disse...

Gostei muito de teres homenageado a memória da lareira, do acolhimento e da educação dada pela tua avó!
Todos nós somos o que somos pq houve alguém na nossa vida que nos marcou particularmente. Por acaso, a avó que me criou era uma super-citadina, não tinha lareira (só fogão-de-sala), as luzes estavam sempre acesas e a qualquer hora aquela casa era um reboliço! Mas ensinou-me muita coisa que ainda guardo: "os sábios valores morais" a que tu te referes.
Sabes uma coisa? Subscrevo e faço minha a última frase do teu post. Gostei muito de a recordar, uma vez mais, enquanto escrevia este comentário...

Lampejo disse...

Sabe bem saber que existem pessoas com as quais partilhamos algo. Obrigado Catatau.