sexta-feira, 26 de agosto de 2005

Simplesmente poético

Para que não julguem que apenas "apanho", o lado mau da vida, aqui vos deixo mais dois toscos, qui sa, ingénuos, ditos poemas meus, escritos também com 15 anos.

MEU PENSAMENTO

Quem me dera ser
O pente com que te costumas pentear
A água da fonte onde te vais banhar.

P'ra poder teu cabelo tocar
Teus lábios beijar
Teu corpo sentir
Tua vida viver
Ao teu lado ficar
Dentro de ti morar
P'ra nunca te deixar.



A VIDA

A vida é um nada,
É um simples passatempo,
É um breve momento no tempo,
É coisa já determinada.

A vida pode ser,
Mais curta que o tempo,
Por mais longo que seja o tempo,
Por mais tempo que agente viver.

A vida vive-se em cada momento,
Por cada momento que agente viver,
Na vida vive-se cada momento,
Que agente pensa jamais viver.

A vida é amarmo-nos
A nós próprios,
Para depois amarmo-nos
Uns aos outros.

2 comentários:

Catatau disse...

Olha que estes estão mais positivos que o de lá de baixo. Mas é natural, aos quinze anos tudo é muito tudo, tudo é muito depressa, tudo é de amar e de odiar, de alegria e de angústia. Tudo é de sim e de sopas, de tecto e de chão... de sim e de não.
É engraçado quando uma pessoa vai ler o que escreveu aos "teens", não é?
Olha eu até tenho vergonha do que escrevia. Nessa altura queria ser jornalista e tinha-me em grande consideração de escrita. Hoje vejo como era tão... tão... tão parecido com o MEC, que até me arrepio! Ainda bem que não fui jornalista! :))))
Deixa cá ver o que andava eu a fazer quando tinhas 15 anos, em 86...
Já não era "teen", já não escrevia crónicas e editoriais. Já andava a trabalhar para ensinar aos teens que, aos 15 anos, há uma vida a saborear nos altos e nos baixos momentos poéticos! :)

bueno disse...

Lindos, os dois. O primeiro é muito romantico. Imagine fazer parte do corpo da pessoa amada... a problemática nao mudou muito, desde os tempos dos teus 15 anos. Amar e ser amado, acho que é por isso que estamos aqui!