quinta-feira, 25 de agosto de 2005

Reflexão

Motivado por gentis palavras dos meus queridos companheiros e amigos "Blogueiros", decidi por mãos a obra, ver os "deves e os haveres" da minha, nem tão curta, nem tão longa, vida.
Tirado de um dos extractos de minha infância e adolescência, encontrei este poema, entre outros, que escrevi em 1986.
Achei que poderia e deveria partilha-lo convosco. Afinal o tema ainda se mantêm mais que actual.

"Século XX"

Viver não vale a pena
Num mundo tão banal,
Neste mundo qu' é só ódio
Ninguém jamais se ama,
Cada dia cada hora a morte acorda
E a vida acaba num só mal,
Neste mundo tão banal
A morte nasce e a vida acaba,
Neste mundo que se odeia
Não há lugar p'ro amor
Porque nele o ódio reina,
Ao olhar para a imensidão
Nada se vê se não ódio e rancor
Neste mundo onde só silvas há
Não vale a pena amar
Porque não se é correspondido
E quando não se é correspondido
Não há nenhum ODIO
Que o AMOR consiga vencer.



Descansem, os vossos espíritos, o poema não quererá forçosamente, espelhar o estado de minha alma actual.
Apenas um, acto de reflexão.
É sabido, que um poema, se me é permitido dar-lhe esse nome a estas minhas toscas palavras, poderá ter, varias interpretações.
Deixo-vos aqui um espaço para o fazerem.
Deste o egoísmo do ser humano, que trava guerras e batalhas, em prol de uma falsa paz, motivado sim, pela conquista do "ouro negro", e de outro bem cada vez mais escasso, a água. Ao amor, a verdade, etc...
Sejam livres de arbitrar.

8 comentários:

Swatch disse...

Oh Pelourso, tu desculpa rapaz mas, na minha modesta opinião, este teu poema tem uma carga negativa muito grande; apesar da violência, da incompreenção e de mais adversidades a que estamos sujeitos, vale sempre a pena amar, sermos amados e lutar por aquilo que queremos.

bueno disse...

Mais uma vez, você me toca com as suas palavras. o poema poderia ser intitulado "século XXI". A problemática é sem dúvida, atual.

Swatch disse...

Incompreenção=incompreensão

bueno disse...

Eu acho que o que vale é a intenção. se é positiva ou negativamente carregada, não importa de verdade. o que importa é o choque, o conflito. não dizem que sem conflito não existe evolução? se mallarmé tivesse esperado para o astral subir, ele não teria escrito. Mas como opinião não se discute, não discutirei com quem me disser o contrário!

Lampejo disse...

Swatch, não há que pedir desculpas, o post foi aqui colocado para isso mesmo, para cada um comentar com bem achar.
Não sei se reparaste, eu escrevi esse poema quando tinha 15 anos, e como era de esperar, não me recordo bem do meu estado de espírito da altura.
Os poemas podem muito bem ser um turbilhão de sentimentos.
Não vejam apenas a palavra amor, amar, etc e outras como as conhecemos, com o seu significado habitual, vejam para lá delas, como uma poesia, por vezes o exige.

Claro que vale a pena amar e ser amado, a quem o dizes, já parti algumas vezes a cara a procura do meu amor, da minha alma gémea. Não fosse eu um romântico, sentimentalista.

Tongzhi disse...

Já tenho 15 anos
Que os fiz em Janeiro
Madrinha casai-me
Com Pedro Gaiteiro
....
O resto comento amanhã!!!

Lampejo disse...

Claúdio, é bem verdade, as opiniões não se discutem, trocam-se. Cada um com a sua.
A intenção deste post, foi promover a troca de opiniões acerca de uma simples reflexão.
Obrigado pela vossa participação.

Preciouzzz disse...

Atenção o telefone vai tocar!!!